Viva Tio Samuel.

14comentários

Hoje vou contar pra vocês um pouco sobre a vida de um tio meu que acaba de completar 80 anos de idade. É uma historia incrível que vale a pena conhecer.

O tio em questão é Samuel Gobel. Marido de minha tia Lucia, pai de meu primo-irmão Jorge, avô de meus sobrinhos Catherine e Vinicius e o bisavô de minha sobrinha-neta, Ana Júlia. Samuca, como lhe chamam os mais íntimos, foi grande amigo de meu pai.

Ele nasceu em primeiro de maio de 1927, em Atenas, na Grécia e antes de chegar ao Maranhão viveu uma vida cheia de aventuras.

Aos 13 anos viu o exercito italiano invadir sua cidade. Aos 14, participava de um grupo de resistência contra os invasores alemães que foram tentar fazer o que os italianos não haviam conseguido. Controlar a velha Grécia, berço da civilização ocidental que agora nem de longe lembrava a terra de incontáveis glorias, senhora de quase todo o mundo conhecido, através do imenso poder dos exércitos de Alexandre da Macedônia.

Com 16 anos foi capturado pelos alemães e levado para o campo de concentração de Darchau, na Alemanha. Por sorte, lá ele ficaria até o campo ser libertado pelos aliados em 1945.

O resgate de Darchau foi tranqüilo. Os americanos entraram em sem disparar um único tiro, mas em compensação o que encontraram do lado de dentro dos muros e das cercas de arame farpado daquele campo foi um verdadeiro inferno.

Tio Samuel tinha na época 18 anos e pesava apenas 36 kg. Dois para cada ano de sua vida.

Ao serem libertados, muitos prisioneiros, famintos, morriam de overdose calórica. O mesmo poderia acontecer com Samuel se um sargento americano, de ascendência grega, não o tivesse levado para um hospital em Munique, onde ele teve os cuidados adequados para bem se recuperar.

Restabelecido, Samuel voltou para sua Grécia, mas alguma coisa nele já era diferente. Meses depois estava de volta na Alemanha e desta vez iria ajudar os judeus a fugir do que Churchill chamou de cortina de ferro.

Ele foi então recrutado por um personagem que eu conheceria anos mais tarde através de dois excelentes filmes, “A maratona da morte” e “Os meninos do Brasil”: Simon Wiesenthal.

Mas Tio Samuel não iria caçar nazistas, ele trabalharia num outro braço da organização dirigida pelo senhor Wiesenthal.

Durante anos Samuel facilitou a fuga de Judeus e de outras pessoas da Bulgária, da Romênia, da Hungria e da Tchecoslováquia, até que certa vez foi preso perto de Praga. Acusado de espionagem, foi condenado a quinze anos de prisão e trabalhos forçados, coisa que passou a fazer há mil e duzentos metros de profundidade, nas minas de urânio em Rovnost.

Três anos depois ele fugiu de lá com ajuda de um dos responsáveis pela produção das minas. Na fuga, durante quarenta noites – de dia ele ficava escondido – comeu apenas frutas silvestres e bebia neve, ate chegar a Viena, na Áustria.

Foi ai que ele resolveu levar uma outra vida e veio pra o Brasil juntamente com outros três amigos, dois gregos e um romeno. Tendo passado pelo Rio e por São Paulo, foram todos para Curitiba onde ficaram um ano, mas depois quiseram ir para Venezuela.

Como o navio em que viajavam parou para reparos em São Luis, e aqui ficaria por algum tempo, Samuel foi ficando, ficando e ficou.

Durante o tempo em que viveu por aqui, Samuca se estabeleceu no setor comercial e participou da época de ouro do salonismo maranhense. Ajudou juntamente com uma geração de monstros sagrados do esporte Timbira a fortalecer o futebol de salão através de times como Próton, Santelmo, Rio Negro, Graça Aranha, Saturno, Drible e Cometas.

Já casado e pai de família foi então morar em Brasília e lá foi regente da maior loja de departamentos da capital federal nos idos dos anos 60, A BiBaBô. Lá também se dedicou ao esporte da bola pesada tornando-se arbitro da modalidade, tendo sido considerado o melhor do país durante muitos anos.

Viajou pelo Brasil e pelo mundo, agora por conta do esporte, não mais por conta de uma vida de aventuras.

Por muitos anos foi um dos dirigentes da confederação brasileira de desporte universitário, a CBDU. Participou de oito olimpíadas universitárias em Londres, Toronto, Zagreb, Osaka, Fukuoca, Palermo, Palma de Majorca e Beijim.

Convocado pela FIFA, compôs o comitê que modificou as regras do futebol de salão.

Tudo isso pode parecer muito fantasioso para alguns, mas não é. Para dar certeza do que digo tenho em minhas mãos uma carta datada de 9 de novembro de 1954 e assinada por Simon Wiesenthal e endereçada ao “Lieber herr Gobel” onde o famoso defensor do povo judeu agradece pelos “relevantes serviços prestados à causa do povo de Israel e em nome da liberdade”.

Tio Samuel foi um herói na Grécia, na Alemanha, na Tchecoslováquia, em São Luis do Maranhão e em Brasília. Ele é um herói por conseguir chegar ate aqui, depois de tudo isso e depois de todo este tempo e ainda em boas condições.

Viva Samuca, que esta de volta para passar os últimos vinte anos de sua incrível vida em nossa ilha, que mesmo não sendo grega, é a nossa Atenas.

14 comentários para "Viva Tio Samuel."


  1. Carlos Alberto Ramos

    Deputado, o senhor é realmente surpreendente. Semana passada o senhor publicou uma crônica belíssima que até certo momento fiquei imaginando que estava se referindo a si mesmo, mas não sabia que o senhor sofresse de dislexia. Hoje o senhor narra essa incrível historia de um tio seu, diz os nomes dos familiares dele, conta detalhes incríveis de uma vida realmente de herói, mas fica em mim uma duvida: Isso é verdade ou é o ficcionista dando uma pitadinha de ajuda ao cronista?
    De qualquer forma meus parabéns, mais uma vez o senhor consegui prender a minha atenção do começo ao fim do texto.
    Ah! e se este seu tio existir mesmo, parabenize-o também, pois as historias que o senhor relata dele são fantásticas.

  2. Lourival Nunes

    Belíssimo texto! Fiquei com vontade de conhecer seu tio, de ouvi-lo contar suas histórias.

  3. Anônimo

    Parabéns! pelo texto e continue a escrever coisas fora da política,e fique sabendo que você continua sendo um dos melhores na Assembléia, e tem toda admiração de seus eleitores.Parabéns!

  4. Larissa

    Esse teu tio não poderia ter nascido em dia melhor…gostei da história dele e, assim como o outro leitor já falou, tb fiquei com vontade de conhecê-lo e curiosa por sua história de vida.
    Parabéns!

  5. Anônimo

    Que bela historia, vejam como podemos fazer muitas coisas pelo proximo e conseguir ser lembrado para o sempre. Meu respeito a este cidadão do mundo.

  6. Anônimo

    garotinho,voce sempre surpreendendo a gente. agradeço a homenagem ao meu pai que para acabar com as duvidas de alguns dos seus leitores, continua vivo Graças a Deus. Assim como Nagibão, que foi meu pai tambem , Samuca tem muito valor para todos nós. Realmente os dois nos ensinaram tudo que precisamos para tocar as nossas vidas. Valeu e um beijao no teu coração. Sabes que estamos sempre juntos.
    jorge gobel

  7. Anônimo

    Deputado, Rogo, para que sua aposentadoria como político não demore. Não quero com isso questionar seu desempenho como representante do povo, mas o mundo literário perde muito com a falta de sua dedicação exclusiva para o assunto.
    Parabéns pela belíssima narrativa.
    Tácito.

  8. Aninha

    Parabéns Joaquim, um homem iluminado como vc só poderia surgir de uma família tão equilibrada e cheia de histórias importantes como a sua, afinal o segredo da educação passa sempre pelo resgate dos valores familiares, já tão abandonados e desacreditados hoje em dia, e criança se educa com exemplos, parabéns, pelo texto, pela família e por todas as histórias deliciosas que você deve ter vivido, melhor p gente que terá sempre momentos agradáveis para ler e sentir através das suas narrativas, sem esquecer claro, que na maioria das vezes, todos temos momentos deliciosos para lembrar, só que esquecemos de organizar os pensamentos e na maioria das vezes acabamos afundando nossos bons momentos em meio ao caos do nosso dia a dia.
    Bjo p/ vc e p/ seu tio que agora todos ficamos curiosos de conhecer, poste uma foto dele p gente vai . . .

  9. adelino silva neto

    Joaquim fiquei muito feliz de ler o artigo. Compartilho do mesmo sentimento positivo em relação a Sr.Samuel e meus sobrinhos citados.
    Que bom e parabéns por tudo o que vc escreveu.Sds, Adelino Silva Neto

  10. eliane

    Até que vc escreve mais ou menos. Embora todos saibam que vc se acha a bala que matou J. Lenonn. Fala Sério!!!!!!! para de endeusar a sua família, aliás não Vc faz outra coisa. Acredito que Vc vai querer concorrer com a família Sarney, Vai encarar? ou menos é mais? Fala Sério!!!!! e publica as críticas, coragem, faça valer as bravatas, publique.

  11. Joaquim Nagib Haickel

    Claro que a Eliane não se chama Eliane, nem deve ser uma mulher, porque se for… Que pena… É uma chata. Mas tudo bem, Deus é pai e perdoa. Vamos então à resposta para a suposta Eliane: Minha cara, se eu não puder falar de mim, das minhas experiências, das pessoas que eu conheço, dos exemplos que obtive pra alicerçar a minha vida, vou falar de quem? De você, de seu pai, de sua mãe ou de um tio seu que possa ter participado da revolta de Canudos… Bem que gostaria, mas não conheço suas historias, conheço as minhas e falando delas, falo das de todos. Não seja uma chata intolerante! Passe bem.
    PS: Sabe, acho que sei quem pode ser essa Eliane…

  12. Anônimo

    Joaquim, sou um grande amigo do Jorge Gobel, e realmente fiquei surpreso com a bela, brava e fantástica história de vida do Samuca. Tive o prazer e a honra de conhecer e bater um agradável papo com Samuca, mais não sabia dessa página da sua vida e nem Gobel havia me falado a respeito. Um grande e afetuoso abraço a linda família de vocês. E eu aqui em Joinville-SC vou morrendo de saudades dos amigos e dessa ilha maravilhosa.

  13. jose carlos

    A Eliana ,pelo que me parece honestamente disse, o que provavelmente muitas pessoas acham sobre alguém tão personalista. Realmente a poesia ou a crônica ou o conto deve ser maior do que o nosso umbigo, um ou outro elogio familiar vá lá, mas sempre as rocambolescas e elogiosas memórias familiares, cansa a beleza de qualquer um que pense. Congratulo-me com a leitora eliana, a questão aqui não é de gênero,por que ser mulher, não significa ser detalhista ou dizer amém para o que se vê ou lê. Significa ter coragem, honestidade e discernimento para dizer: não gostei e pt saudações. Isto entre outras coisas significa preferências, gostos. Quanto a imaginar que a moça em questão fosse o Dr. Peta ou alguém parecido isto sim é preconceito, pois já significa idéia pré – concebida. Como já foi colocado reiteradas vezes neste blog que o jornalista publica os elogios e tb as críticas, por favor publique a minha crítica.

  14. Anônimo

    Nós que participamos de uma parte desta história, ficamos felizes em poder está aqui hoje desenjando milhões de felicidades pelos seus oitenta anos e lamentamos não estarmos presente em ocasião tão importante. Felicidades!!! Beijos dos irmãos postiços brasileiros. E beijos de sua neta e seu novo neto.

deixe seu comentário