O sonho de ontem.

10comentários

Elegante,
falante,
galante…
Não lembro direito, mas não esqueço jamais.
Flores,
vinho,
coisas pra beliscar,
música,
dança,
conversa ao pé do ouvido.
Sorriso infantil,
olhar denunciador,
seu corpo fala por ela,
vibra(literalmente vibra)
ao som da flauta de Euterpe
e da lira de Terpsícore.
No colo dela,
em seu decote,
descortino o mundo e desço…
Montes,
vasta pradaria,
vales,
um rio feito de suor…
Precipício…
Mergulho.
Quando emergi estava nas costas dela,
em sua nuca
e aos seus ouvidos fechei a noite.

10 comentários para "O sonho de ontem."


  1. Anônimo

    Que coisa linda! Essa é a forma mais bonita de alguém contar um sonho erótico que eu já tomei conhecimento em toda minha vida…

  2. Patinha

    Perfeito!!!

  3. Mário Márcio de Almeida Sousa

    Caro Joaquim,
    Parabéns. Que belo texto!
    Gostei tanto que me encorajei a enviar um escrito meu.
    Há outros que penso em reunir num livro.
    Grande abraço,
    Mário Márcio

    O corpo queima
    A alma congela
    O membro vibra
    O peito emudece
    As mãos vagam, sem nada encontrar
    Os olhos se fecham
    Os desejos se mostram
    O sêmen jorra
    E se perde no vento

  4. Mnemosine

    Caro poeta, pelos meus registros, esse foi sem dúvida o melhor poema que você escreveu nos últimos anos. É inteligente, culto, sensível e sensual. Clio soou a trombeta em sol maior. Depois desse, eu lamento, mas só posso cobrar-lhe outro, melhor ainda.
    Um beijo
    Da sua eterna Mnemosine

  5. Aninha

    Realmente! Esse poema é muito interessante. Tem ritmo, tem força, é sensível e sensual. Usa belíssimas metáforas (Precipício!). É másculo, não machista.
    É um poema forte de amor e sexo feito por um homem com cheiro de homem, com cara de homem e com todas as letras maiúsculas, coisa rara de se achar por ai.

  6. vc nem sonha

    adoraria que este sonho fosse comigo e que esse poema fosse para mim!

  7. Mnemosine

    Por Zeus! Pelo Tártaro, acordem meninas! Para que um homem fique assim feito raridade, tem que ter a parceira certa, uma mulher mais rara ainda. Só alguém especial pode trazer a tona o melhor de um homem.
    Mãos a obra meninas e se tornem pessoas especiais. Quanto ao poeta, lamento dizer, mas ele já tem musa.
    Eta poeta, vás ter que recorrer à musa para atenderes tanta demanda de sonhados poemas. E foi só um sonho, de ontem, imagina se tivesse sido real. E quem disse que os sonhos não são reais? São tão reais que causam efeitos especiais. 🙂 Muitas vezes até causam guerras apocalípticas no Olimpo. Até que tudo fique limpo e passado a limpo é uma longa jornada da memória.
    Beijos
    Mnemosine

  8. Leitor

    Mnemosine é a Deusa da memória. Muito legal o comentário de Mnemosine. Penso que um poeta que faz uma leitura assim cheia de erotismo deve ser “apaixonado” pelo FEMININO. Vê-se este erotismo em vários trabalhos seus, por exemplo no filme “Pelo Ouvido”, nele, percebe-se o cuidado com o sentir feminino. Talvez uma mulher não captasse tão bem o erotismo explícito no filme-conto-memória-ou-fantasia do diretor-escritor…p/ quem ler não importa a origem do escrito e sim o que pode causar nele, digo, no leitor, ler um poema, uma crônica, ver um filme…enfim ” O sonho de ontem”

  9. Mnemosine

    Obrigado pelo elogio “Leitor”. Você está certo, não importa de onde o vento sopre, o importante é se deixar tocar pelo vento. Todo escritor é como o vento, traz à tona suas próprias memórias, enquanto estimula o mesmo processo nos leitores. E em cada um processa-se de maneira particular, sem nunca decifrar a alma do escritor, pois essa é mais do que ele escreve e torna público. A memória é imprescindível para o aprendizado e fortalecimento do eu.
    Um abraço
    Mnemosine

  10. Soares

    Caro poeta,

    Felizmente, caro Joaquim, fazer poesia não é simplesmente aplicar metaforas e eufemismos para clamar, nessa ordem, por : Vulvas cabeludas; grandes e pequenos lábios; liquidos lubrificantes e mucos; profunda vagina e sexo oral !

    Ainda bem !!!

deixe seu comentário