Ainda sobre 2009

5comentários

Em primeiro lugar quero avisar a quem tem me procurado e não tem me encontrado, nem pessoalmente nem através de meus inseparáveis telefones celulares que estou fora de São Luis, em uma clínica tratando de saúde, me preparando para enfrentar melhor a difícil campanha eleitoral que se avizinha. De tempos em tempos eu tenho que fazer um check-up devido à operação de redução de estômago pela qual passei nove anos atrás, e aproveitando a oportunidade das férias, do recesso da Assembléia, do fato de o orçamento do Estado ainda estar fechado, e é claro, as demandas dos municípios estarem consequentemente bem menores, faço isso agora.

Em que pese os últimos quatro anos terem sido alguns dos melhores anos de minha vida, 2009, especificamente foi também um ano que pude experimentar sentimentos bem diversificados, tanto na quantidade quanto na intensidade.

Em 2009 continuei saboreando o prazer de ter realizado em 2008, o filme Pelo Ouvido, que foi muito bem recebido pela crítica assim como por todos que o assistiram; conheci pessoas e lugares especiais; reencontrei a plenitude do amor; senti novamente o prazer e a importância de exercer o mandato de deputado estadual através da prática legislativa e da proposição e aprovação de projetos importantes; ingressei na mais alta casa de cultura da minha terra, a Academia Maranhense de Letras; lancei um bom livro de crônicas; e bem próximo ao final do ano pude presenciar a consubstanciação de um antigo e acalentado projeto concebido por mim, o Museu da Memória audiovisual do Maranhão (sobre esse assunto tratarei especialmente em outra oportunidade).

É verdade que 2009 não foi um ano onde apenas aconteceram coisas boas. Em 2009 perdi um dos meus melhores amigos, um companheiro de lutas que me acompanhava desde 1982 e que me fará muita falta, não apenas nesse ano de eleição, mas para sempre. Falo do meu amigo e motorista José Moraes Neto. Em 2009 perdemos também a companhia de um colega deputado, Pedro Veloso, adversário leal e correto. Na verdade 2009 foi um ano de muitas perdas no que se refere ao convívio de pessoas importantes e amigas que nos deixaram.

Enquanto alguns nos deixaram por morte, outros resolveram nos deixar por motivos de vil traição mesmo. Falo de políticos fracos, covardes e oportunistas da pior espécie. Alguns desses foram seduzidos pelo bafo do poder que emana de cargos tão temporários quanto um suspiro. Em alguns casos não foram nem os detentores desses fugazes cargos que investiram na sedução, foram os outros, prefeitos, vereadores, chefes políticos de pouco ou nenhum escrúpulo que se entregaram ao poder de secretários de estado que nesses casos estão usando o cargo que não é, está seu, para engordar suas contas eleitorais. Já vi várias vezes esse filme antes.

Em alguns aspectos 2009 foi um ano bem diferente. Até meados de maio tivemos um governo e a partir daí passamos a ter outro. Nem vou aqui comentar como e porque isso ocorreu, vou apenas dizer que a mudança foi para melhor e aqui não deve ser levado em consideração o fato de eu fazer parte do grupo político que esta atualmente no controle da administração de nosso Estado, até porque eu devo ter sido quem mais reclamou de como agiu esse mesmo governo no que diz respeito ao trato dos assuntos de relacionamento político com os amigos leais, companheiros de todas as horas, com correligionários corretos e com os oportunistas de ocasião. Acredito que alguém que se porta dessa maneira seja insuspeito quando diz que, em que pese as falhas e as deficiências desse governo, ele ainda assim é infinitamente melhor que os dois anteriores.

De tanto eu reclamar da forma gananciosa como alguns políticos agiram em 2009, e olhe que eu não descarto a possibilidade deles talvez terem até agido assim, motivados pelo medo que sentiram das conseqüências dos usos e abusos da maquina eleitoral e financeira dos governos Zé Reinaldo e Jackson Lago, muitos acreditavam que eu não fosse ser candidato a mais um mandato de deputado estadual. Fiquem tranqüilos, nos encontraremos muitas vezes por aí, durante a próxima campanha. Estarei com os mesmos amigos, nos mesmos municípios que sempre estive desde 1982, quando de minha primeira eleição e com algumas pessoas de outros lugares que acrescentei à minha lista de amigos nesses 28 anos de política.

Por fim, mais uma vez ficou claro pra mim que as escolhas que fazemos definem nossas vidas. 2009 me serviu de lição. Que tenha servido para outras pessoas também.

5 comentários para "Ainda sobre 2009"


  1. Diogo Adriano

    Nós, seus eleitores fiéis, estaremos mais uma vez com você em 2010.
    Há! Aproveita a “folga” para atualizar com mais freqüência o seu blog e nos presentear com seus escritos tão esperados por nós.
    Abraços e que esteja tudo bem contigo.

  2. Waldimir filho

    Meu caro JOAQUIM,

    Feliz do homem que consegue reencontrar a plenitude do amor. Voce lançar um bom livro de crônicas não me surpreende, pois na minha modesta opinião , voce é o melhor cronista local. Os traidores não te deixaram, eles se abandonaram , e só vão perceber isso no futuro. Já estou com o sabre desembainhado, vamos a luta. Um abraço

  3. mario

    deixa esses traira pra la porq nao cabe aqui o teu povo fiel nunca vai deixa de votar no senhor deputado NAGIB 2010 .

  4. Almira

    Joaquim,
    Belo texto! Palavras simples, bem colocadas e que conseguem transmitir o que lhe vem na alma. Mas, acredito que as pedras que lhe colocaram no caminho, serviram para que você construísse um castelo, não é verdade??? PELO OUVIDO, AML, MAVAM, DITO E FEITO, “A PLENITUDE DO AMOR”… Parabéns!
    Mais uma vez: sou sua fã!!!
    Na verdade, somos bombardeados diariamente pela feiúra da violência, pelo amargor do desemprego, pelo azedume da desconfiança mútua, pelo mau-cheiro da corrupção. Sim, vivemos dias muito difíceis! Ao que a mídia chama incansavelmente de CRISE…
    Dizem que, para o povo chinês, a palavra crise significa oportunidade. Pensando bem, o momento é mesmo de múltiplas oportunidades… Mudanças sob vários aspectos… 2010… Ano Novo!!! Mais do que nunca, a vida nos brinda com a oportunidade de um novo ano, novas metas, novos projetos e a possibilidade de ver com otimismo os problemas do dia-a-dia… Perceber que temos o poder de agir, de mudar, de escolher, de transformar, tudo começando pela nossa própria atitude interior… Possuímos o poder de criar e de destruir obstáculos… A força da amargura é vacilante e ineficaz enquanto a força da doçura é elegante e precisa. Você é uma pessoa que possui a “elegância do comportamento” e isto o faz diferente. Fernando Pessoa diz mais ou menos assim: ” HÁ UM TEMPO EM QUE É PRECISO ABANDONAR AS ROUPAS USADAS, QUE JÁ TEM A FORMA DO NOSSO CORPO E ESQUECER OS CAMINHOS QUE NOS LEVAM SEMPRE AOS MESMOS LUGARES. É O TEMPO DA TRAVESSIA… E, SE NÃO OUSARMOS FAZÊ-LA, TEREMOS FICADO, PARA SEMPRE, À MARGEM DE NÓS MESMOS”. Faça sua travessia Meu Amigo Querido, você é ousado o suficiente para conseguir tal proeza.
    Beijo Carinhoso,
    Almira

  5. Carlos

    Caro deputado, como uma rádio tão importante (Mirante FM de Santa Inês), pode perder em audiência para as piratas ques de forma assustadora estão tomando de conta da cidade. Eu que ja trabalhei na TV Maranhão Central quando ainda o senhor fazia parte da direção, sempre condenei a falta de jornalismo local / regional. Acho que um programa aberto para o povo poderá levantar a audiencia por lá. Valeu.

deixe seu comentário