Transição de governança na SEDEL

0comentário

O governador eleito Flávio Dino indicou na semana passada o nome do futuro secretário de Esporte e Lazer. Trata-se do professor e militante político, membro destacado do partido dos trabalhadores, Márcio Jardim.

Logo que foi feito o anúncio eu me manifestei favoravelmente, não apenas por ser amigo de Márcio, mas por saber de sua imensa disponibilidade e afeição aos grandes desafios.

Algumas pessoas ligadas ao esporte apressaram-se em criticar a escolha, alegando que o futuro secretário não seria oriundo do setor esportivo, que não tem vivência na lide esportiva, que teria dificuldade em transitar na área. Discordo totalmente de quem acha isso. Eu mesmo, quatro anos atrás, não era oriundo da lide diretamente esportiva, e antes de mim, Roberto Costa, Weverton Rocha, Mauro Bezerra, nenhum desses vieram do setor eminentemente esportivo. Colocar-se um professor de educação física no cargo de secretário de Esporte não garante à pasta o sucesso necessário!

Eu imaginei que Flávio Dino fosse indicar Sergio Frota para a Sedel, pela importância do Sampaio no atual contexto esportivo de nosso Estado, e pela possibilidade de trazer para a Assembleia seu aliado de Timon, Rafael Leitoa. FD resolveu esse problema de outra forma e a solução encontrada não poderia ter sido melhor.

Em minha opinião, a escolha de Márcio é importante, inclusive pelo fato dele ter excelentes contatos no governo federal, o que garante que poderá alavancar importantes projetos para o fortalecimento do setor esportivo de nosso Estado.

Tenho me manifestado a respeito das indicações dos nomes que Flávio Dino tem escolhido para compor o seu governo e no caso da secretaria que ocupo não poderia ser diferente. Alguns aliados do futuro governador apressaram-se em me criticar por ter discordado do fato dele não ter retornado a pasta extraordinária da Juventude ao seu berço inicial, o esporte.

Gostaria de justificar minha posição. Uma secretaria extraordinária não possui peso, influência, capacidade e principalmente orçamento para realizar nenhum trabalho, nenhuma ação capaz de se notabilizar importante. Logo, o setor da juventude, acoplado a uma secretaria ágil, capaz de gerar ações diretas no setor como a Sedel, poderia ser bem melhor para a juventude do que permanecer no Gabinete Civil como mais uma pasta extraordinária, gerida pela imensa e lenta máquina daquele setor.

Mas voltando ao eixo de nosso assunto de hoje, a transição de governança na pasta que coordenamos nos últimos quatro anos, gostaria de dizer a você que me lê agora algumas das coisas que disse e mostrei ao Márcio Jardim e à equipe que o acompanhou na visita à Sedel, na última terça-feira, 25.

Apresentei ao Márcio a lista de ações que a Sedel vem realizando nestes anos, apresentei-lhe o orçamento da secretaria, entreguei-lhe uma lista dos itens em nosso almoxarifado, mostrei-lhe como funciona a Lei de Incentivo ao Esporte, dei-lhe ciência das obras que estão sendo executadas pela Sinfra dentro do Complexo Esportivo do Outeiro da Cruz e outras que estão sendo realizadas pela própria Sedel, algumas delas que deverão ser continuadas em sua gestão. Quanto a esse assunto, mostrei a ele e à equipe que o acompanhou que deixaremos garantidos, em caixa, mais de R$ 9 milhões para a realização desses projetos, além de mais de R$ 1,5 milhão na conta do Fundo Estadual de Esporte, recurso que poderá ser utilizado por ele na implementação de ações esportivas e de lazer, de acordo com as diretrizes do Conselho Estadual de Esporte.

Tanto Márcio quanto a equipe que o acompanhou na visita à Sedel indagaram de mim e de minha equipe sobre o funcionamento da secretaria, de como se dá a relação com as diversas federações esportivas, como funcionam as gestões dos diversos aparelhos esportivos sob nossa guarda, sobre os Jogos Escolares Maranhenses…

Entre os acompanhantes de Márcio estavam o professor da Universidade Federal do Maranhão, Leonardo Cordeiro, e o ex-secretário municipal de Esporte Miguel Pinheiro. Ambos bastante familiarizados com o setor e tenho certeza darão uma grande contribuição na futura equipe gestora da Sedel.

Na quarta-feira, 26, fizemos visitas a varias praças esportivas do CEOC. Visitamos o Castelão em seus diversos setores. Vimos como funcionam as catracas e o vídeo monitoramento. Visitamos o setor das cadeiras, os camarotes, as cabines da imprensa, as áreas administrativas, os vestiários, o gramado, os alojamentos que estão abrigando a Força Nacional e por fim, visitamos algumas áreas onde deverão ser instaladas com o recurso que já está assegurado no orçamento, salas para associações e federações esportivas, área que poderá ser usada para outros fins, inclusive educativo.

Visitamos o Castelinho, as piscinas, os estacionamentos, vimos o ginásio e as quadras que foram entregues à comunidade do entorno e depois fomos visitar o Ginásio da Barrigudeira, construído com recursos da Lei de Incentivo ao Esporte, beneficiando a Escola Barbosa de Godois, uma das maiores campeãs esportivas de nosso Estado, graças ao trabalho do professor Eduardo Teles.

Nos próximos dias ainda faremos outras reuniões no sentido de esclarecer qualquer dúvida que por acaso tenha o futuro secretário ou seu staff, garantindo que em nossa pasta a transição transcorra na mais perfeita ordem, propiciando uma continuidade mínima nas ações, sem turbulências ou atropelos, garantindo que a nova equipe gestora da Sedel comece seus trabalhos em perfeita ordem e harmonia.

Quatro anos atrás, quando resolvi aceitar o cargo de secretário de Esporte, sabia que ele era temporário. Agora ao transmiti-lo ao meu sucessor, sinto que cumpri minha missão, que fiz o melhor ao meu alcance, que eu e a equipe, que comigo trabalhou durante todo esse tempo, podemos dizer orgulhosos: Vencemos!

Desejo ao futuro secretário e à sua equipe todo o sucesso, e que, satisfeito e orgulhoso, daqui a quatro anos possam dizer a mesma coisa ao passar o cargo a quem lhe suceder.

 

Sem comentário para "Transição de governança na SEDEL"


deixe seu comentário