A Lista de Jerry

7comentários

Li em alguns blogs que o secretário Marcio Jerry fez uma lista onde constam os nomes dos candidatos a prefeito de São Luís que serão apoiados informalmente pelo governo, uma vez que o governador já se manifestou dizendo que nem ele, nem a máquina do Estado, irão participar das eleições municipais, atitude que eu reputo muito correta e salutar, e que se de fato isso acontecer, se consubstanciará como uma das tais mudanças de postura apregoada por ele.

Mas eu fico me perguntando quais seriam os motivos pelo qual, no sofisma de neutralidade, dentro do seu grupo, meu bom amigo Marcio Jerry não incluiu a candidatura de Wellington como sendo da base Dinista, uma vez que ele é deputado eleito em coligação ligada ao governo!

Digo isso porque todo mundo sabe que mais desconfortável que o caso de Wellington, há uma candidatura ainda menos apoiada pelo governo, a de Eliziane, e mesmo assim o Marcio Jerry a incluiu como da base governista.

Existe algo na lógica comunista que eu não consigo entender. Não seria mais sábio incluir todos que não sejam adversários formais do governo como sendo seus candidatos!? Pelo menos pareceria mais lógico e coerente.

Prova disso foi o esquecimento do nome de Braide na primeira lista de candidatos, o que demonstra que essa lista não é lá muito verdadeira, nos dando a impressão de que o candidato do governo, mesmo, de verdade, seja só o atual prefeito!

É como se o governo estivesse escolhendo um adversário a dedo. Alguém pra chamar de seu… “Inimigo”… E escolheram logo o professor Wellington pra palito. Logo um político não convencional, alguém de fora do ramo, um iniciante na política, alguém ainda com poucos vícios, não acostumado com os jogos dessa atividade.

Mais adiante Marcio Jerry diz no Twitter que não relacionou Wellington na sua lista de candidatos apoiados pelo governo, em respeito a sua independência. Ora, isso significa que os outros candidatos relacionados não tem independência, são dependentes das decisões do Governo!?

Se a vontade popular de mudança for verdadeira, como eu acredito que é, a estratégia de Marcio Jerry, do PC do B e do governo, de isolar o candidato Wellington, taxando-o de adversário, é totalmente equivocada, pois ele seria a mudança viável para uma mudança que muita gente acha que não deu certo!

Mas como não poderia deixar de ser, há também algo de muito inteligente nessa estratégia traçada pelo experiente e calejado presidente do PC do B e secretário de assuntos políticos, Marcio Jerry: Se o governo apoia quatro candidatos e dois deles são os melhores nas pesquisas de opinião, é porque o governo deve estar com tudo! Quando se joga com muitas possibilidades, pode se dizer no final que se ganhou! O governo acha que o prefeito de São Luís será Edivaldo ou Eliziane e quer que qualquer um dos dois seja seu, pois o sucesso na eleição de 2018 passa necessariamente pela vitória na de 2016.

PS: Vão já inventar que o Wellington é Sarneysista!

7 comentários para "A Lista de Jerry"


  1. A lista de Jerry | Gilberto Léda

    […] Continue lendo aqui. […]

  2. Saraiva

    … Mais adiante Marcio Jerry diz no Twitter que não relacionou Wellington na sua lista de candidatos apoiados pelo governo, em respeito a sua independência. Ora, isso significa que os outros candidatos relacionados não tem independência, são dependentes das decisões do Governo

    EU DIRIA QUE NÃO SÃO DEPENDENTES. PIOR: SÃO SUBSERVIENTES.

  3. Sergio

    Joaquim teu mal é pensar que elementos desse governo são teus amigos . Lembra-te do episódio da Secretaria de Cultura !!

    • Joaquim Haickel

      Não existe nada que me faça imaginar que ele não seja meu amigo. Temos um bom relacionamento, nos respeitamos mutuamente e sempre que nos encontramos nos cumprimentamos e falamos com deferência e cordialidade. O fato de não comungarmos das mesmas ideias políticas e partidárias não impede que sejamos amigos. Eu o considero um amigo e imagino que a reciproca seja verdadeira. No caso da Ester, quando estava na SECMA, foi uma falha dela, que eu já esqueci e perdoei.

  4. André Silva

    Márcio Jerry teu amigo ? Conta outra Joaquim!!

    • Joaquim Haickel

      Não existe nada que me faça imaginar que ele não seja meu amigo. Temos um bom relacionamento, nos respeitamos mutuamente e sempre que nos encontramos nos cumprimentamos e falamos com deferência e cordialidade. O fato de não comungarmos das mesmas ideias políticas e partidárias não impede que sejamos amigos. Eu o considero um amigo e imagino que a reciproca seja verdadeira.

  5. Antônio Araújo

    Muito boa essa análise.

deixe seu comentário