Desmistificar é preciso – Parte 1.

9comentários

Para que se possa bem analisar o quadro político maranhense, é indispensável que primeiramente joguemos por terra alguns mitos que induzem à graves erros de avaliação.

O primeiro desses mitos é aquele que vem sendo difundido por todos os que se apresentaram como adversários de Sarney desde que ele subiu ao poder. Dizem que Sarney e seu grupo representa tudo que não presta, que eles são a escória da política maranhense. E não apenas isso, dizem que todos aqueles que se opõem ao grupo Sarney, são o que há de melhor em termos políticos e administrativos no Maranhão. Deste modo criaram um mito duplo, que demoniza uns e santifica outros.

Para desmontar esta farsa, estabelecida para satanizar uns e endeusar outros, basta observar que todas as vezes que os adversários de Sarney assumiram o comando do Maranhão, demonstraram ser muito piores que os sarneyzistas.

Quando os adversários do grupo Sarney conseguem ser muito bons, no máximo e com muito boa vontade só são capazes de se igualarem a eles, mas não por méritos seus, e sim por demérito dos sarneyzistas, que também não são assim tão bons como imaginam!

Para comprovar o que eu digo, basta fazer um retrospecto nos mais de trinta e seis anos de administração de políticos anti-Sarney em São Luís! A cidade é uma bagunça! Não há planejamento de qualquer tipo! Não há saneamento, a educação um desastre, a saúde é um caos, o transito é desastroso!… Não há nada que tenha sido feito em São Luís que credencie os políticos que a dominam, já lá se vão nove eleições consecutivas, como sendo melhores que os sarneyzistas.

O argumento usado pelos adversários de Sarney como desculpa para sua incompetência administrativa e incapacidade política no comando de nossa capital sempre foi a falta de apoio do governo do estado, o que é um outro mito, pois durante os quatro anos de Zé Reinaldo, os dois anos de Jackson e os três (quatro) anos de Flávio Dino, houve uma efetiva parceria do governo municipal com o governo estadual e nem assim mostraram a que vieram!?

Sobre os políticos de antigamente serem ultrapassados, ruins e nocivos, devo concordar que alguns deles realmente eram assim, mas há muitas e honradas exceções. No entanto soube de uma espécie de mote bem antigo que o governador Flávio Dino tem usado para tentar convencer alguns políticos, principalmente prefeitos, a alinharem-se a ele e ao seu governo.

Ele tem algumas vezes usado a mesma abordagem utilizada por vários políticos antigos, alguns considerados velhos coronéis do interior, outros tidos como raposas felpudas da política, e até mesmo por meu pai, que se tinha pouca instrução formal, era um homem de grande inteligência e profunda sabedoria.

Como meu pai, político tido por Flávio Dino como direitista pelego, patrimonialista e ultrapassado, o governador usa a velha abordagem do relacionamento interpessoal. Aquela em que seu operador diz ao interlocutor que acabou de conhecê-lo, que depois vai pedir em namoro, depois vai noivar, para só então vir a se casar com o coitado objeto de sua abordagem.

O que ocorre é que diferentemente de meu pai, que jamais abandonou seus amigos, Flávio Dino não titubeará em abandonar os seus, se este for o destino traçado para eles em seu roteiro de poder.

Sarney não é pior que nenhum outro político do Maranhão.

Flávio Dino pode até ser melhor que alguns políticos maranhenses, em alguns aspectos, jamais em todos. Em comparação a Sarney, Flávio é pior na grande maioria dos quesitos, como coerência, sabedoria, paciência e sangue frio; empata em vaidade e obstinação; e supera Sarney em juventude, arrogância e prepotência!

No final das contas, nem Sarney é o demônio pintado de vermelho, nem Flávio Dino é o messias salvador do Maranhão.

Serem parecidos deveria honrar Dino, Sarney nem tanto!…

 

PS: Este é o primeiro de uma série de três artigos sobre mitos da política maranhense que precisam ser derrubado. Nas próximas duas semanas publicaremos os outros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

9 comentários para "Desmistificar é preciso – Parte 1."


  1. Melo

    Fico observando, muitos não sabem, mas quem conhece a história de verdade, sabe que a origem de Flávio Dino não é diferente de qualquer político da “oligarquia” por assim dizer, pois seu pai Sálvio Dino foi deputado e Prefeito apadrinhado pelos Sarney e é mais um ficha suja no TCE-MA, como centenas oligarcas aposentados compulsoriamente na política…. Ai vem pagar de Salvador….

    • Joaquim Haickel

      Para ser justo tanto com o governador Flavio Dino que não cultiva o hábito de ser justo com quem discorda dele, e com o seu pai e meu amigo Sálvio Dino, Devo dizer a você e a quem nos lê agora, que neste caso o filho não tem identidade política e eleitoral com o pai. O pai político e eleitoral de Flávio Dino é na verdade Zé Reinaldo que enquanto Governador elegeu o ex-juiz deputado federal e deu-lhe asas, as mesmas que em pagamento o atual governador vai cortar de Zé Reinaldo na eleição deste para o senado.
      Quanto ao fato do pai de Flávio ser ligado a Sarney e ter contas rejeitadas no TCE, isso é a coisa mais comum que exista e isso nem sempre ocorre por atos de corrupção ou desvio de recursos finaceiros ou malversação de verbas, mas por meras formalidades. Poucos lembram que Sálvio Dino foi um dos primeiros políticos cassados pela ditadura militar no Maranhão.

  2. Desmistificar é preciso –

    […] Por Joaquim Haickel […]

  3. Desmistificar é preciso – Parte 1 | Blog do Robert Lobato

    […] por Joaquim Haickel […]

  4. “Flávio Dino supera Sarney em juventude, arrogância e prepotência”, avalia Joaquim Haickel – Blog do Gláucio Ericeira

    […] Para ler o artigo na íntegra basta clicar Aqui. […]

  5. Paulo Barroso

    Joaquim em que rumo estais ? Já chegastes a enaltecer Flávio Dino, parece que ele não te deu confiança e agora o ataca. Tem dia que desanca Roseana , diz que ela não é candidata , que fez um governo ruim e tudo mais.A grande verdade é que ficas falando essas bobagens e vai que ela vai eleita e Fernando Sarney ainda vai querer nos empurrar você de secretário. Aí vem Olga, Gastão , Trinchão, Carminha, João Abreu, etc. Niguém agüenta , num futuro governo de Roseana , essa trupe!

    • Joaquim Haickel

      Enalteci uma ação que ele disse que faria e o critiquei por não fazê-la pelo mesmo motivo de outros políticos antes dele.
      Se o que eu falo é bobagem, não se preocupe, pois elas não perdurarão. Se não forem bobagens, se comprovarão!
      Quanto a sua preocupação de eu vir a ser secretário de governo, esqueça, pois eu não desejo mais fazer ocupar cargo político.
      Sobre os possíveis assessores de Roseana, eles são melhores que os de Flávio!

  6. Magno Cunha

    O mais importante para todo o funcionalismo público estadual nessa sua celeuma toda joaquim, contra o Governador Flávio Dino, é que as finanças do Estado do Maranhão esta equilibrada e com os salários em dia!!!!! equilibrada

    • Joaquim Haickel

      Flávio Dino recebeu um estado saneado, com as finanças equilibradas e vem o mantendo assim!…

deixe seu comentário