Alcione ensina Axl Rose a cantar Nelson Cavaquinho

0comentário

A cantora Alcione, que participou do show em homenagem ao 450 anos da Cidade do Rio de Janeiro, no palco Sunset, no Rock in Rio, e ensinou Axl Rose a cantar o trecho “O Soooollll” da música “Juízo Final”, tema de abertura da novela “A Regra do Jogo”.

Alcione e Axl Rose, vocalista da banda Guns N`Roses. Foto: Divulgação
Alcione e Axl Rose, vocalista da banda Guns N`Roses. Foto: Divulgação

A cantora chegou na Cidade do Rock vestida com uma roupa estampada com a foto do vocalista do Guns N’ Roses. No ano passado, o cantor se encontrou com Alcione e postou em suas redes sociais uma foto com ela.

sem comentário »

Músicos e poeta rasgam seda para disco de Cecília

0comentário

A cantora e compositora Cecília Leite disse estar muito contente com a receptividade do público e da crítica especializada, além dos elogios recebidos por celebridades como Zeca Baleiro, Chico Buarque e Ferreira Gullar pelo novo trabalho dela.

– Tem sido muito positivo o “feedback” desse novo trabalho. Fiz um trabalho de divulgação em São Luís. O disco está tocando em rádios de Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Mandei para jornalistas e formadores de opinião desses eixos. O disco está tocando bem no Brasil. Quem ouve entende a proposta. E fiquei, ainda, mais emocionada, orgulhosa, feliz com o “feedback” com os elogios de Zeca Baleiro, Chico Buarque e Ferreira Gullar, pessoas que admiro tanto e me responderam de maneira elogiosa ao trabalho – ressaltou.

Plugada

Cecília participou da edição do domingo, dia 27/9, do Plugado, na Mirante FM. Ela, também, falou do show, que ocorre nesta sexta-feira, 2/10, a partir das 21h, no Teatro Artur Azevedo. Na sequência, foram apresentadas algumas músicas do segundo disco da artista “Enquanto a Chuva Passa”, título também do show.

cecilia2640

Repertório

Sempre competente no que faz, Cecília garante um espetáculo charmoso e rigoroso no que diz respeito a repertório.

– O show está pronto e muito bonito. Serei acompanhada por oitos instrumentistas escolhidos a dedo. São sete locais, além do violoncelista Lui Coimbra, que participou do processo de direção e gravação do disco. A ideia é um repertório extremamente fiel aos arranjos originais do disco. Assim farei com as outras músicas que não estão no “Enquanto a Chuva Passa”, mas que tenho apresentado em shows aqui e lá fora.

Turnê

Além de São Luís, o show “Enquanto a Chuva Passa” vai passar por Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

sem comentário »

Coletivo Gororoba no Espaço Rima Viva da Felis

0comentário

coletivo640

sem comentário »

Mais Cultura e Turismo em itinerância

0comentário

Entre os meses de julho e agosto, foi realizado em São Luís, o projeto Mais Cultura e Turismo, tendo como locais o Espigão Costeiro e a Praça Nauro Machado, na Praia Grande. Agora, o projeto se estende ao interior do Estado e vai abranger 22 cidades.

A itinerância do “Mais Cultura e Turismo”, organizado pela Secretaria Estadual de Cultura, Secma, tem início nesta quinta-feira, dia 1º, no município de Mirinzal. Durante dois, uma série de atividades será realizada voltadas para os processos de institucionalização da cultura, geração de conhecimentos, difusão cultural, fomento e sustentabilidade.

A edição de Mirinzal será a primeira de 22 edições do projeto que serão realizadas nos próximos meses em todas as regiões do estado Território Oeste: Carutapera e Santa Inês; Território Norte: Mirinzal, Pinheiro, Viana e Chapadinha; Território Leste: Barreirinhas, Tutóia, Itapecuru Mirim e Rosário; Território Sul: Imperatriz, Carolina e Balsas; Território Centro I: Barra do Corda, Presidente Dutra e Grajaú; Território Centro II: Bacabal, Pedreiras, Codó, Caxias, Timon e São João dos Patos.

Para a realização do projeto ‘Mais Cultura e Turismo’ em Mirinzal, técnicos da Secretaria de Estado da Cultura percorreram, previamente, diversas comunidades de municípios como Guimarães, Porto Rico, Bacuri, Central,Cedral, Serrano do Maranhão, Apicum-Açu e Cururupu. Nas visitas, foram identificadas as peculiaridades culturais destas comunidades.

“Essa região da baixada é muito rica culturalmente. Por isso, além de levarmos atrações da capital estamos dando prioridade para a valorização da cultura local, como o tradicional boi de zabumba, boi de costa de mão, tambor de mina, pajé, artesanato, modos de vida das comunidades quilombolas e de pescadores artesanais, além do reconhecimento dos saberes tradicionais, pois iremos realizar um encontro destes mestres e mestras que mantém essas tradições na região”, explicou a superintendente de Ação e Difusão Cultural da Secma, Jô Brandão.

As diversas atividades do projeto consideram, também, ações continuadas de caráter estruturante, tendo em vista a perspectiva de obtermos resultados qualitativos com as ações planejadas. A exemplo da implantação de equipamentos públicos, bibliotecas, formação de agentes culturais, cartografia social, residências artísticas, cadastramento de grupos, comunidades, artistas e práticas culturais no Sistema Estadual de Informação e Indicadores Culturais (SEIIC) e o apoio aos municípios na elaboração de seus planos municipais de cultura.

Exposição coletiva

Todas as edições do ‘Mais Cultura e Turismo’ receberão uma exposição coletiva intitulada ‘Maranhão de Identidades e Tradições’. A exposição será composta por um acervo já pertencente à Secretaria de Estado da Cultura (Secma), selecionado nas Casas de Culturas e Museus, e também coletados nas comunidades. A exposição tem como cerne o reconhecimento das diferentes identidades e sua contribuição na formação da cultura maranhense.

Conheça os municípios polo do ‘Mais Cultura e Turismo’

Território I (Carutapera e Santa Inês);

Território II (Mirinzal, Pinheiro, Viana e Chapadinha);

Território III (Barreirinhas, Tutóia, Itapecuru Mirim e Rosário);

Território IV (Imperatriz, Carolina e Balsas);

Território V (Barra do Corda, Presidente Dutra e Grajaú);

Território VII (Bacabal, Pedreiras, Codó, Caxias, Timon e São João dos Patos)

sem comentário »

“Broders” é selecionado para festival no Canadá

0comentário

O curta-metragem Broders, gravado em vários pontos de São Luís, foi selecionado para a 9ª edição do Brazilian Festival Of Film and TV (BRAFFTV), realizado em Toronto, no Canadá.

Broders. Foto: Divulgação
Broders. Foto: Divulgação

– Parabéns a todos os que trabalharam e apoiaram o filme. Representaremos vocês e cinema maranhense no Canadá – declarou o perfil do filme no Facebook.

O filme conta a história do reencontro de dois maranhenses, Caio (vivido pelo ator Luan Paiva e JJ (interpretado por Al Danuzio), que, afastados pelo tempo e pela distância, viveram realidades antagônicas.

A ideia é inspirada em longas nacionais como “Cidade Baixa” (que conta com Wagner Moura, Alice Braga e Lázaro Ramos no elenco), nasceu de um acontecimento real, vivido por Al Danuzio, ator ludovicense de 24 anos, que mora nos Estados Unidos há cinco anos e já fez várias novelas, curtas e peças de teatro na Terra do Tio Sam.

Saiba mais sobre o longa “Broders” clicando Aqui.

sem comentário »

Abertos editais para Teatro e Dança

0comentário

Estão abertos os editais para seleção dos trabalhos que comporão a programação da X Semana de Teatro do Maranhão e a IX Semana Maranhense de Dança.

Semana de Teatro do Maranhão

A X Semana de Teatro do Maranhão será realizada no período de apoderão ser entregues de 25 de Setembro a 9 de Outubro, por meio de ficha de cadastro disponível no portal da cultura (www.cultura.gov.ma.br) e projeto composto pelos documentos selecionados diretamente na sede da Secretaria de Estado da Cultura: Rua Portugal, 303, Praia Grande, Centro – São Luís – MA, CEP. 65010-000, ou, via Sedex para grupos oriundos dos municípios e de outros estados.

A ficha de inscrição deverá ser entregue digitada e totalmente preenchida, com a sinopse do texto, release do espetáculo, críticas e recortes de jornais do espetáculo, currículo do grupo e do diretor, três fotos digitais do espetáculo, relação/autor/minutos das músicas do espetáculo, mapa de luz, som e palco do espetáculo, com descritivo dos equipamentos a serem utilizados, cópia do texto do espetáculo, DVD com a gravação recente e completa do espetáculo, com elenco que participará do certame entre outras exigências.

Todas as atividades do evento irão ocorrer de forma gratuita, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas e ainda coletivos culturais inscritas no CNPJ de todo o território nacional que contemplem a atividade teatral em seus objetivos, Estatuto ou Contrato Social.

A programação incluirá espetáculos inéditos e não inéditos de teatro de todos tipos de públicos com apresentações de rua, circo, teatro-musical, performances, intervenções, exposições, cortejo, leituras dramáticas e oficinas.

A remuneração dos espetáculos aprovados será distribuída como forma de cachê para os espetáculos nacionais R$2.500,00 (dois mil reais), espetáculo locais $3.000,00 (três mil reais); espetáculos provenientes de outros municípios do Maranhão R$ 2.500,00 (dois mil reais).

A avaliação dos trabalhos artísticos será por meio de uma curadoria composta por três profissionais das artes cênicas, indicados pela Comissão Organizadora do Evento em concordância com a SECMA. Serão selecionados espetáculos de acordo com os critérios de relevância e qualidade artística, aos objetivos, inovação e abrangência de público, diversidade de linguagens propostas dentro da encenação, argumentação da construção do conteúdo do espetáculo, originalidade da encenação.

O resultado final dos selecionados será divulgado no dia 15 de outubro de 2015 no site da Secretaria de Estado da Cultura: www.cultura.ma.gov.br . Os selecionados deverão confirmar sua participação através de e-mail em até 24 horas após comunicação da seleção. Não havendo confirmação, um novo grupo deverá ser convocado.

Qualquer dúvida poderá ser esclarecida através do email: [email protected] A partir do momento que os interessados realizarem suas inscrições na X Semana do Teatro no Maranhão pressupõe a aceitação e concordância com todos os termos do presente regulamento disponível no site.

Semana Maranhense de Dança

A IX Semana Maranhense de Dança será realizada de 2 a 8 de novembro de 2015 em São Luís.As Inscrições são para Oficinas, Coreografias, Espetáculos, Performances e Intervenções acontecerão de 25 de Setembro a 08 de Outubro de 2015, das 15:00 às 19:00 diretamente na SECMA situada à Rua Portugal, n° 303, Centro Histórico ou, ainda, via correios para grupos de outros municípios e de outros Estados.

A ficha de inscrição ficará disponível no site: www.cultura.ma.gov.br ; Oficinas – [email protected]; Coreografias – [email protected] ; Espetáculos, Intervenções e Performances –inscriçã[email protected]; Mostra “Criança na Dança” inscriçã[email protected]; Mostra “Eu Danço, Tu Danças… Nós Dançamos” – inscriçã[email protected]; Mostra de Dança “Melhor Idade” inscriçã[email protected]

Poderão participar do processo seletivo grupos, Companhias, Coletivos, Escolas e Bailarinos Independentes do Maranhão e outras localidades, nos estilos: Ballet Clássico, Neoclássico, Moderno, Contemporâneo, Jazz, Balé Aéreo, Dança do Ventre, Sapateado, Dança Flamenca, Dança de Rua, Afro e Dança de Salão.

Serão entregues certificados para todos os bailarinos participantes das oficinas com frequência mínima de 80% das aulas, durante a Semana Maranhense de Dança 2015, além disso, serão realizadas campanhas com ações sociais como: “Dança: alimento da alma e da solidariedade” doe um quilo de alimento não perecível e adquira seu ingresso nas apresentações em espaços fechados, e “Faça feliz uma criança e experimente a felicidade: DANCE!”, doe um brinquedo e participe das oficinas de dança oferecidas na Semana. Todas as doações deverão ser entregues às entidades beneficentes do Estado do Maranhão.

As coreografias inscritas serão avaliadas pela Comissão através do material entregue em CD e DVD, juntamente com relaese e ficha técnica da coreografia (Coreógrafo, Bailarinos, Nome e Autor das Músicas, Tempo de duração), três fotos da coreografia , currículo do proponente, necessidades técnicas, filmagem da coreografia em DVD.

O Tempo será dividido da seguinte forma: Solos – máximo de 03 minutos; Duos e Trios – máximo de 04 minutos; Grupo – máximo de 06 minutos. (mais de três bailarinos).

As Premiações serão somente para o 1º Lugar Masculino e 1º Lugar Feminino, e 1° Lugar Duo, independente do estilo apresentado. O resultado da Seleção dos Inscritos nas Oficinas será divulgado na coordenação do evento, de 19 a 21 de Outubro de 2015, onde o aprovado deverá confirmar a sua participação, através da sua assinatura na relação de selecionados, dentro do mesmo período.

sem comentário »

Confira a programação da Feira do Livro de São Luís

1comentário

A 9ª Feira do Livro de São Luís (Felis), que vai acontecer no período de 2 a 11 de outubro. O evento vai ocupar as ruas, praças e espaços culturais do Centro Histórico. Com o tema “Cidade Livre, Cidade do Livro”.

Entre os nomes convidados da 9ª Feira do Livro de São Luís – Felis- em 2015, idealizada pela Fundação Municipal de Cultura (FUNC), constam o músico Marcelo Yuka, (ex-O Rappa), o poeta e compositor Antônio Cícero, além do escritor indígena Daniel Munduruku.

A patrona será a historiadora, professora universitária e escritora Lourdinha Lacroix e as homenageadas Raimunda Frazão (poeta e cordelista), Mairy Ferreira (professora universitária e bibliotecária), Alberico Carneiro (jornalista) e Mário Meireles (in memoriam). Nas palestras estão sendo abordados temas ligados à juventude, à questão da acessibilidade e sobre a questão da etnia.

Clique e Confira a Programação da Felis.

 

1 comentário »

Trilhas e Tons, em itinerância, pelo Maranhão

0comentário

O projeto Trilhas e Tons II definiu três novas datas de seu calendário. Os músicos Nosly e Wilson Zara apresentam a oficina de teoria musical aplicada à música popular em São Luís (de 5 a 9 de outubro), Tuntum (de 12 a 16 de outubro) e São João dos Patos (de 3 a 7 de novembro), sempre das 14h às 18h. Trilhas e Tons II tem patrocínio da Companhia Energética do Maranhão (Cemar), através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.

trilhasetons

Na capital a oficina acontecerá no Convento das Mercês, no Desterro. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas diretamente com o coordenador Wilson Zara, pelos telefones (98) 999753999 (oi) e/ou 982221315 (tim) ou pelo e-mail [email protected]

Os locais das oficinas de Tuntum e São João dos Patos estão por definir, mas interessados/as em participar das atividades já podem se inscrever. Em Tuntum devem procurar Hélio, pelo telefone (99) 991454897 (vivo); em São João dos Patos, Delzuita, pelo telefone (99) 981121025 (tim) e/ou e-mail [email protected]; as respectivas fichas de inscrição podem ser baixadas na fan page do projeto, no facebook (Trilhas e Tons).

As vagas são limitadas – cada turma terá 30 participantes. Todas as atividades têm inscrição gratuita e será oferecida certificação aos participantes que concluírem a carga horária de 20h.

Histórico – Em 2013, Nosly e Wilson Zara realizaram 10 oficinas em 10 cidades maranhenses. A iniciativa também teve patrocínio da Cemar, através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Este ano, a rota de Trilhas e Tons II teve início entre os últimos dias 14 e 18 de setembro, em Dom Pedro/MA, e percorrerá 12 municípios.

Na ocasião, ao encerramento da oficina, os artistas participaram da inauguração da Biblioteca Pública Professora Teresinha de Jesus, quando apresentaram pocket show com a participação dos alunos da turma.

 

sem comentário »

Encerrada versão SLZ do Lençóis Jazz e Blues Festival

0comentário

Uma noite de festa. A sétima edição do Lençóis Jazz & Blues Festival chegou ao fim nesse sábado (26). A Praça Maria Aragão, em São Luís, ficou lotada. O público se encantou, se emocionou, aplaudiu. Cerca de 3 mil pessoas prestigiaram o encerramento do festival em 2015 que contou com as apresentações do israelense Gadi Lehavi, de Daniel Jobim e do Serial Funkers. Uma noite memorável para quem curte jazz, blues, soul, disco music e a celebrada bossa nova.

Banda Serial Funkers. Foto: Taciano Brito
Banda Serial Funkers. Foto: Taciano Brito

Coube aos paulistas da banda Serial Funkers fazer o show final desta edição do Lençóis Jazz & Blues Festival. O auto astral do grupo foi contagiante e fez o público dançar. A apresentação da banda foi bastante diversificada, mesclando clássicos da Soul Music, da MPB e de outros gêneros da Black Music.

Com um estilo envolvente, o Serial Funkers cantou Olhos Coloridos, hino da Soul Music. Clássicos do Dance Music como September, Celebration e That’s The Way (I Like It) também fizeram parte do show com músicas autorais para a alegria do público.

Para animar ainda mais, o Serial Funkers interpretou diversas músicas de Tim Maia. O público foi ao delírio com “Gostava tanto de você”, “Você” e “Não quero dinheiro, só quero amar”. A Praça Maria Aragão transformou-se em um lindo coral.

“A alegria de estar aqui é muito grande. Uma satisfação, uma honra. Superou nossas expectativas. A avaliação é 100% positiva e a gente fica feliz em contribuir. Música, independentemente de qualquer coisa, engrandece as pessoas da criança ao mais velho. Traz alegria, ensinamento e coisas boas pra gente”, destacou Regis Paulino, vocalista do Serial Funkers.

Daniel Jobim. Foto: Taciano Brito
Daniel Jobim. Foto: Taciano Brito

Cheio de Bossa

Uma das atrações mais esperadas do Lençóis Jazz & Blues Festival em 2015, o pianista, cantor e compositor Daniel Jobim fez jus ao sobrenome do avô Tom. Em um concerto acústico sensacional, Daniel simplesmente foi incrível nos detalhes. E foram os detalhes que emocionaram o público.

Clássicos da Bossa Nova e de autoria de Tom Jobim marcaram a apresentação de Daniel Jobim no Lençóis Jazz & Blues Festival. “Wave”, “Garota de Ipanema” e “Águas de Março” emocionaram o público em São Luís. A voz de Daniel Jobim se confundia com as das pessoas na praça. Todos cantavam a uma só voz. Um show inesquecível.

“Vou levar uma lembrança maravilhosa de São Luís. É um povo muito carinhoso. Um local lindo e o público cantando todas as músicas foi lindo. É um projeto que não pode parar nunca”, declarou Daniel Jobim.

“Eu sempre gostei muito desta vertente. Acho a proposta muito interessante a partir do momento que você tem artistas de ótima qualidade proporcionando tudo isso”, elogiou o estudante Gerson Junior, de 18 anos.

Israelense Gadi Lehavi. Foto: Taciano Brito
Israelense Gadi Lehavi. Foto: Taciano Brito

Jazz israelense

A programação da última noite do Lençóis Jazz & Blues Festival foi aberta com a incrível apresentação do pianista israelense Gadi Lehavi. O artista impressionou o público com uma exímia qualidade musical.

E, um dos pontos altos do show de Gadi Lehavi foi quando ele interpretou de forma magistral a eterna canção de Cartola em ritmo de jazz: “As rosas não falam”. As rosas podem até não falar, mas elas fizeram o público sonhar. “Este festival é um bom festival porque faz a boa arte. É um festival que coloca as pessoas para celebrar a boa música. Isso é encantador”, afirmou o pianista israelense.

“É a primeira vez que eu venho em um festival de jazz em São Luís porque eu morava em Belo Horizonte, e lá costuma ter sempre estes festivais, eventos culturais. Acho fantástico eventos como este. Acho muito interessante porque o jazz é a base de muitos estilos musicais que a gente escuta hoje em dia”, comentou a mineira Luana Nunes Goncalves, de 21 anos.

Positividade

A sétima edição do Lençóis Jazz & Blues Festival chegou ao fim deixando muita saudade. Durante dois fins de semanas, as cidades de Barreirinhas e de São Luís respiraram música de qualidade. De forma gratuita, shows incríveis foram realizados para cerca de 9 mil pessoas, público estimado pela organização do festival.

E a imensa presença das pessoas é algo que merece o reconhecimento do Lençóis Jazz e Blues Festival. “É muito legal ver que as pessoas vieram prestigiar o festival. Isso é importante. A cada ano que passa o festival melhora e a gente tem uma presença maciça do povo. É uma alegria imensa conseguir fazer um festival tão diversificado e com tantos talentos. Só gostaria de agradecer a nossos patrocinadores, parceiros e apoiadores e a todos que acreditaram neste projeto cultural que é ao mesmo tempo social”, declarou Tutuca Viana, organizador do festival.

O músico Alê Muniz também fez questão de prestigiar a sétima edição do Lençóis Jazz & Blues Festival . Para ele, o festival já ganhou espaço na vida das pessoas. “O festival já é uma coisa tradicional, o público já espera isso. Acho isso legal porque é um presente para o público. Causa um impacto positivo na cidade e inclui São Luís num circuito cultural importante”.

O mais importante do Lençóis Jazz & Blues Festival é que o evento não é exclusivamente voltado para os shows com os melhores artistas nacionais e internacionais de jazz e blues. O festival é uma forma de levar cultura e alegria às pessoas. O lado social do evento é algo marcante, uma vez que foram ministradas oficinas musicais e de animação, espetáculos de mímica, de teatro, sessões de cinema com filmes de animação de 40 países e oficinas de capacitação para empreendedores culturais em parceria com o Sebrae.

Somente em Barreirinhas, cerca de 200 pessoas, de todas as faixas etárias, participaram destas atividades que ocorreram durante o festival. Já em São Luís, aproximadamente 150 estudantes do Cegel, Escola Modelo, Liceu Maranhense e Escola Fernando Perdigão, da Escola de Música Lilah Lisboa, da UFMA e da Uema, além de pessoas da comunidade, participaram das oficinas de música ministradas pelos mestres da música da cidade de New Orleans, Edward Anderson e Darrel Lavigne.

“O balanço é positivo porque nós fazemos estas oficinas para a comunidade de Barreirinhas e em São Luís com o objetivo de trazer para perto a música ao vivo. Quando a criança tem a oportunidade de olhar um músico experiente tirando um som bonito do instrumento, aquilo além de encantar, estimula. A criança fica com vontade também de fazer aquele som. Nosso objetivo é esse e estamos alcançando em todas as edições do festival”, declarou Ivaldo Guimarães, coordenador das oficinas.

Wanda Sá e Roberto Menescal. Foto: Taciano Brito
Wanda Sá e Roberto Menescal. Foto: Taciano Brito

Parceria 

Em 2015, uma parceria engrandeceu ainda mais o Lençóis Jazz & Blues Festival em 2015. Com o apoio do Sebrae, o festival conseguiu promover oficinas de capacitação para empreendedores culturais com o objetivo de mostrar formas para conseguir captar recursos para projetos culturais, assim como apresentar mecanismos eficazes de divulgação de shows e eventos pela internet, ministradas pelo gestor cultural Cláudio Machado.

As oficinas ocorreram nos dias 24 e 25 deste mês no Grand São Luís Hotel, e contaram com a participação de produtores culturais, músicos e pessoas ligadas ao fomento da cultura em todo o Estado, além da presença lustre do músico, compositor e arranjador capixaba Roberto Menescal. De acordo com o diretor superintendente do Sebrae-MA, João Martins, a iniciativa visa somar ao Lençóis Jazz & Blues Festival e à cadeia produtiva da música.

“Viemos somar ao festival e à cadeia produtiva da música e, posteriormente, a outras áreas, como o teatro e a dança. Não poderíamos fechar os olhos para isso. A iniciativa atende a demandas por capacitação específica para esta cadeia produtiva, o que deixa um legado para o território onde acontece o festival”, explicou João Martins.

sem comentário »

SLZ: começa na sexta Festival de Jazz e Blues

0comentário

A programação de shows do VII Lençóis Jazz e Blues Festival tem início nesta sexta-feira (25/9), a partir das 20h30, na Praça Maria Aragão, em São Luís, com a apresentação da banda paulista André Marques Sexteto.

André Marques Sexteto abre o 7º Lençóis Jazz Festival, em São Luís. Foto: Taciano Brito
André Marques Sexteto abre o 7º Lençóis Jazz Festival, em São Luís. Foto: Taciano Brito

O diferencial deste show é a forma como os instrumentos adquirem novas funções nas mãos do conjunto. Normalmente, os instrumentos de sopros têm função melódica enquanto que o piano e a guitarra, função harmônica. No entanto, André Marques Sexteto, na maioria dos arranjos, inverte estas funções, o que dá um toque especial à música.

Roberto Menescal vai estar acompanhado de Wanda Sá. Foto: Taciano Brito
Roberto Menescal vai estar acompanhado de Wanda Sá. Foto: Taciano Brito

Na sequência da programação, é a vez de Wanda Sá e Roberto Menescal subirem ao palco. A apresentação da dupla é uma oportunidade para o público ver de perto um show de bossa e apreciar a linda voz de Wanda Sá em sintonia com o violão afinado de Roberto Menescal.

Blues Beatles Piano: uma das atrações do 7º Lençóis Jazz Festival em São Luís. Foto: Taciano Brito
Blues Beatles Piano: uma das atrações do 7º Lençóis Jazz Festival em São Luís. Foto: Taciano Brito

Encerrando a primeira noite de shows do Lençóis Jazz & Blues Festival em São Luís, a banda paulista Blues Beatles vai levar ao público interpretações dos Beatles com uma roupagem de blues. Músicas como Help, Ticket to Ride e Yesterday recebem arranjos novos, onde alguns elementos marcantes são preservados e outros modificados para que o universo do blues entre em ação para encantar o público.

Pianista israelense Gadi Lehavi no sábado, na Praça Maria Aragão. Foto: Taciano Brito
Pianista israelense Gadi Lehavi no sábado, na Praça Maria Aragão. Foto: Taciano Brito

Sábado tem mais

No sábado (26), a programação do Lençóis Jazz & Blues Festival terá início com uma apresentação internacional. O israelense Gadi Lehavi vai mostrar em São Luís todo o seu talento com o piano, que já foi visto e apreciado em alguns dos principais festivais de jazz da Europa, Ásia e Austrália.

Em sua carreira, o jovem pianista teve o privilégio de tocar com alguns dos maiores músicos da atualidade, como Pat Metheny, Ravi Coltrane, Chick Corea, John Patitucci, Dave Liebman, Bobby McFerrin, Eli Degibri, Phil Wilson, Kurt Rosenwinkel e Eddie Gomez.

Em seguida, São Luís abre os braços para receber Daniel Jobim. O pianista, cantor e compositor carioca, apresentará um concerto acústico dedicado ao repertório de seu avô, Tom Jobim, um dos criadores da Bossa Nova e referência na música internacional.

Daniel Jobim herdou do avô a sensibilidade musical e a paixão pela Bossa Nova. O show solo, de voz e piano, vai emocionar o público se emocionar na execução de clássicos, como, “Águas de Março”, “Insensatez”, “Meditação”, “Só tinha de ser com você”, “Wave”, entre outros.

Encerrando a edição de 2015 do Lençóis Jazz & Blues Festival, a banda paulista Serial Funkers, um dos destaques do reality show “SuperStar” (TV Globo). Criada no fim 2006, a banda é inspirada na Soul Music, na Música Brasileira e em outros gêneros da Black Music.

Oficina com os músicos norte-americanos Darrel Lavigne e Edward Anderson, em São Luís. Foto: Taciano Brito
Oficina com os músicos norte-americanos Darrel Lavigne e Edward Anderson, em São Luís. Foto: Taciano Brito

Oficinas

Não apenas de shows nacionais e internacionais é feito o Lençóis Jazz & Blues Festival. O evento também proporciona a troca de conhecimentos entre artistas e capacitações para empreendedores culturais. Em São Luís, foram ofertadas, na Escola de Música Lilah Lisboa, quatro turmas da oficina de música máster class/intermediário e o Workshop Creole
Connections ministradas pelos mestres de música da cidade de New Orleans, Darrel Lavigne e Edward Anderson.

– Nós mostramos a conexão entre a nossa cultura e a cultura do Brasil, e falamos sobre nossas
experiências como músicos. Também compartilharmos informações e tocamos com músicos brasileiros – disse Anderson.

Jam Session em oficina de música no Lençóis Jazz e Blues Festival, em São Luís. Foto: Taciano Brito
Jam Session em oficina de música no Lençóis Jazz e Blues Festival, em São Luís. Foto: Taciano Brito

O trompetista americano também falou sobre a iniciativa do festival de proporcionar oficinas didáticas. “Eu acho incrível, porque eles têm a oportunidade de ver que compartilhamos história semelhante, que mesmo alguém que toca muito longe, nos Estados Unidos, ainda assim estamos conectados pela América. Portanto, temos semelhanças. Estamos todos conectados, e eles conseguiram ver isso”, elogiou.

Os alunos também gostaram de trocar informações com os músicos americanos. “Eu já havia participado de uma oficina de música, mas esta aqui foi diferente, foi bem emocionante. Senti muitas emoções, principalmente por ele ter falado de New Orleans, que toca em mim, já que eu sou fã de uma cultura africana. A oficina foi ótima. É muito bom este compartilhando de saber, de emoções”, disse a estudante do 1º ano do Ensino Médio do Cegel, Marcela Batista.

“Eu achei maravilhoso. É uma oportunidade. Fiz questão de participar porque é uma raridade você ter um pessoal do blues e do jazz norte-americano de New Orleans vindo falar de suas experiências, suas histórias”, completou o professor e antropólogo Adalberto Riso de Oliveira.

Empreendedorismo musical discutido em festival de Jazz e Blues. Foto: Taciano Brito
Empreendedorismo musical discutido em festival de Jazz e Blues. Foto: Taciano Brito

Na quinta-feira, o gestor cultural, músico, instrutor do Sebrae e fundador do site Cultura de Valor, Claudio Machado, ministrou a oficina “Como captar recursos para projetos culturais” pela manhã e à tarde. Durante a oficina, abordou os principais problemas e dificuldades na elaboração e apresentação de projetos no processo de captação de recursos e exemplificou possíveis soluções. Também deu dicas preciosas usando exemplos práticos do que funciona e do não funciona e os maiores erros dos empreendedores culturais na hora de apresentar um projeto visando captar recursos.

– Você tem que pensar no público, na sociedade. É necessário saber no que o patrocinador se interessa porque ele não está ali para ajudar você. Ele está ali para ser um parceiro seu. O artista precisa de boas propostas e que elas seja aceitas. Você tem que passar segurança com a qualidade do que você apresenta. Você tem que prometer menos e entregar mais do que o patrocinador espera – explicou Claudio Machado, gestor cultural e instrutor do Sebrae.

No período da tarde, o diretor superintendente do Sebrae, João Martins, acompanhado do diretor técnico João Moraes visitou a oficina e falou da parceria com o festival nas ações de capacitação profissional.

– Vimos no Projeto do 7º Lençóis Bules & Jazz Festival uma iniciativa empreendedora e uma oportunidade de mercado para a cadeia produtiva da música. A iniciativa atende às demandas por capacitação específica para esta cadeia produtiva, o que deixa um legado para o território onde acontece o Festival – afirmou João Martins, diretor superintendente do Sebrae.

Para o artesão José Antônio Neres participar da oficina de “Como captar recursos para projetos culturais” foi uma oportunidade ímpar.

– A nossa grande dificuldade é essa questão de como formar projetos, como captar, como você se direcionar, a quem se direcionar e isso ficou bem claro. Isso foi muito bacana e é essencial pra gente. O artista não tem que ter pires na mão, tem que ter a capacidade e o local para buscar essa parceria de que todos podem andar juntos. Foi muito enriquecedor as oficinas – explicou o artesão.

Nesta sexta-feira (24), a partir das 8h, Claudio Machado realiza a oficina “Como divulgar shows e eventos pela internet”. Essa oficina também é resultado da parceira entre a produção do festival e o SEBRAE.

Mais informação

Quem quiser saber todos os detalhes e tudo o que rola sobre o festival pode acompanhar o evento na internet. As informações sobre o 7º Lençóis Jazz e Blues Festival estão disponíveis no www.lencoisjazzeblues.com.br. Também pode ser seguido no Twitter (@lencoisfestival), Instagram (@lencoisfestival) e curtido no Facebook (LencoisJazzBluesFestival).

Fonte: Assessoria Festival 

sem comentário »
https://www.blogsoestado.com/pedrosobrinho/wp-admin/
Twitter Facebook RSS